Esta era não é para homens

by RNPD

«E as mulheres, uma das suas especialidades? Vão sobreviver aos homens?

– É evidente que as mulheres estão no centro da instrumentalização liberal. Teorizo isso enquanto pensador, mas os liberais constatam-nos enquanto comerciantes: as mulheres são o melhor agente do liberalismo, menos polarizadas pela solidariedade de classe, mais “psicologisantes”…sentem-se mais à vontade neste mundo da mercantilização integral, do desejo, das pulsões…o sistema que lhes garantiu a paridade compreendeu-o muito bem…o meu livro “Vers la féminisation” (rumo à efeminização) é uma das chaves de compreensão do nosso mundo. O mundo liberal assegura a sua sobrevivência, apesar das suas contradições suicidárias, liquidando o homem no sentido clássico e grego do termo, o homem consciente, apoiando-se no adolescente, na jovem mulher, que é sem dúvida a figura mais conseguida da decrepitude liberal. É a jovem mulher burguesa de esquerda que reina hoje nos Media, da manequim à entrevistadora política. Que ironia! É a ela, que pelo seu ser é a mais inapta a compreender o mundo, que entregamos a tarefa da análise e do comentário jornalístico. Esta estratégia perversa, fomentada por homens, é também o cume da misoginia sobre o qual todas as feministas se perdem.»

Alain Soral em entrevista ao “Le Choc du Mois” de junho de 2009