Uma Federação que envergonha

by RNPD

null

A chamada de Liedson à selecção “pretensamente nacional” da Federação Portuguesa de Futebol é um novo ponto baixo na história do desporto português. Entre os muitos africanos e o par de brasileiros, aquela selecção, supostamente a competir em representação do continente europeu mas cada vez menos europeia, já parecia uma “torre de babel”, mas a convocação do Liedson consegue tornar a situação ainda mais caricata…

Liedson descobriu depois dos 30 anos, em final de carreira, que afinal queria representar “as quinas”, após ter esperado toda a sua vida desportiva, em vão, por uma chamada à selecção brasileira, esse sim o seu desejo…perdida essa esperança, a selecção portuguesa foi a escolha possível, o último recurso.

Quem se presta a ser segunda escolha não se respeita e não merece respeito e também por isso não podemos deixar de dizer que a FPF envergonha o nome de Portugal e os verdadeiros portugueses.

Por outro lado, a lógica subjacente a estas convocações de jogadores naturalizados coloca um ponto final na ideia de que as competições ao nível das selecções fossem ainda portadoras de um espírito diferente daquele mercantilismo que define os clubes de futebol, onde os resultados justificam todas as condutas. O propósito dos confrontos entre selecções nacionais era medir as forças e fraquezas das nações condicionadas pelas limitações que lhes fossem impostas pelas suas próprias gerações e escolas de formação, não era certamente a ideia de suprimir essas fraquezas naturalizando ou comprando estrangeiros para as posições mais carenciadas, como se de reforços de uma qualquer SAD se tratassem…

E agora? Acreditemos na Dinamarca e na Hungria! Que estas selecções verdadeiramente europeias ponham fim a esta farsa!