Ainda não é fascismo…

by RNPD

As diferenças elementares entre hoje e ontem

Acusam ou, mais provavelmente, lisonjeiam Berlusconi comparando-o a Mussolini.É uma tirada risível que não pode ser levada a sério. Todavia…

Em Itália, como noutros lugares, ignorando as fórmulas políticas e os esquemas de pertença, assiste-se ao ressurgimento de um populismo que procura representação na autoridade. Há, portanto, qualquer coisa de vagamente similar. E temos também o processo de identificação que aproxima as pessoas numa espécie de osmose interclassista, para usar a terminologia cara aos professorais dissecadores da realidade. Há, portanto semelhanças, mas há também e sobretudo diferença. Não me refiro àquela ideal, ideológica ou espiritual, e também não penso em Berlusconi em si, que no papel de terminal do “Estado de multidão” não produziu coisa alguma, se é que o entende.

A diferença entre o populismo fascista e aquele pós/democrático de hoje é verificável naquilo que, de cada componente, foi valorizado pelo primeiro e pelo segundo.

O fascismo orientou tudo em direcção à coragem aristocrática, ao gosto burguês (que engloba também a sensualidade) e à solidariedade social proletária.

O populismo pós/democrático contenta-se com a coragem burguesa, que é assaz prudente, com a solidariedade social aristocrática, egoísta e assistencial, e tem o gosto proletário.

Não se atribui a Berlusconi esta diferença que está nos factos, mas é preciso tê-la em conta ou incorrer-se-á numa grande confusão.

Gabriele Adinolfi, via NoReporter