Impossível, portanto…

by RNPD

null

Pátria Portuguesa e Estado

1 – Considerar a Pátria Portuguesa como a coisa para nós mais existente, e o Estado Português como não existente. Fazer, portanto, tudo pela Pátria e não pedir nada ao Estado.

2 – Considerar que a Pátria Portuguesa existe toda ela dentro de cada indivíduo português. Fazer portanto tudo para si mesmo como português, desenvolver-se a si mesmo no sentido português.

3 – Considerar que a Pátria Portuguesa, como qualquer pátria, é apenas um meio de criar uma civilização. Fazer tudo, portanto, para criar uma Pátria Portuguesa criadora de civilização.

4- Considerar que o conceito de Pátria é um conceito puramente místico e que, portanto,

(1) nenhum elemento de interesse deve entrar nele
(2) nenhum outro conceito místico deve coexistir com ele, a não ser que ele domine esse conceito e o integre em si

Impossível, portanto:

(1) …
(2) ser bom católico, ou bom budista, ou bom qualquer coisa estranha se se é português, a não ser que se queira criar um catolicismo português ou um budismo português ou o que seja português.

Fernando Pessoa, “Portugal, Sebastianismo e Quinto Império”, Publicações Europa-América, pg.67