O prémio Nobel do absurdo

by RNPD

null

Foram precisos mais 25 anos do que pensava George Orwell para os slogans da sua obra “1984” se tornarem realidade. “Guerra é Paz”, “Liberdade é Escravidão”, “Ignorância é Força”. Eu acrescentaria “a Mentira é a Verdade”.

O comité Nobel atribuiu ao presidente Obama o seu prémio de 2009, o homem que começou uma nova guerra no Paquistão, fez escalar a guerra no Afeganistão, e continua a ameaçar o Irão com um ataque se este não fizer o que o governo americano quer e abdique dos seus direitos de signatário do tratado de não-proliferação.

O presidente do Comité Nobel, Thorbjoern Jagland, disse:” É muito raro que alguém capte a atenção do Mundo e dê ao seu povo a esperança num futuro melhor como fez Obama”

Obama,afirmou entusiasmado o Comité, criou “um novo clima na política internacional”.

Digam isso aos 2 milhões de refugiados paquistaneses e ao número desconhecido de mortos que Obama acumulou nos seus poucos meses de presidência. Digam isso aos afegãos, entre os quais as mortes de civis continuam a aumentar enquanto a “guerra necessária” de Obama se arrasta indeterminadamente.

Nenhuma das políticas de Bush mudou. O Iraque continua sob ocupação. A prisão de tortura de Guantanamo ainda funciona. Raptos e assassinatos continuam a ocorrer. Espiar americanos sem mandatos continua na ordem do dia. As liberdades civis continuam a ser violadas em nome da “guerra ao terrorismo”.

Aparentemente o Comité Nobel padece da ilusão de que, sendo de uma minoria, Obama vai por um ponto final à hegemonia ocidental sobre os povos de pele mais escura.

Os que não são cínicos podem dizer que o Comité está a tentar aproveitar-se da retórica de Obama para o forçar a procurar a paz em vez da guerra. Podemos esperar que resulte. Mas o resultado mais provável é que o prémio tenha tornado verdadeiro o slogan “Guerra é Paz”.

Obama não fez nada para responsabilizar o regime criminoso de Bush e a Administração Obama subornou e ameaçou a Autoridade Palestiniana para a forçar a alinhar com o plano americano-israelita de ocultar o relatório Goldstone da ONU sobre os crimes de guerra israelitas cometidos durante o ataque militar desumano às populações civis desarmadas do gueto de Gaza.

O Ministro Americano da Verdade está a espalhar a propaganda da Administração Obama de que o Irão apenas notificou a AIEA sobre a sua nova instalação nuclear “secreta” porque o Irão percebeu que os serviços de informação americanos haviam descoberto a instalação “secreta”. Esta propaganda é destinada a menorizar o facto de que o Irão respeitou as medidas de salvaguarda acordadas e manter o ambiente para um ataque militar.

O Comité Nobel colocou todas as suas esperanças na cor da pele.

“Guerra é Paz” é agora a posição da organização feminina Code Pink, que era antes contra a guerra.

A Code Pink decidiu que os direitos das mulheres valem uma guerra no Afeganistão.

Quando as justificações para a guerra se tornam quase infinitas: petróleo, hegemonia, direitos das mulheres, democracia, vingança pelo 11/9, negar bases à Al-Qaeda e proteger o país de terroristas – então a guerra passa a ser o caminho para a paz.

O Comité Nobel entregou o prestígio do seu prémio da paz à Novilíngua e ao Duplipensar orwellianos.

Paul Craig Roberts