A nação verdadeira é sempre uma comunidade de raça, o resto são abstracções jurídicas estatais

by RNPD

Em poucas palavras, a essência do combate:

«O “nacionalismo branco” (white nationalism) é uma variante do etno-nacionalismo histórico, aquilo que Walker Connor chama nacionalismo no seu “sentido primordial”.

Todos os três – nacionalismo racial, étnico e primordial – definem a nação em termos de sangue.

O nacionalismo cívico ou de credo do regime presente, que torna primária a lealdade ao Estado, e não à Nação, é “nacionalista” apenas num sentido ideológico redutor, confundindo patriotismo (lealdade ao Estado ou afeição à terra) com lealdade ao povo (nacionalismo). Por isso, define a nação em função de certos princípios democráticos abstractos, vendo-a como uma colecção de indivíduos, cada um deles mais importante que o todo.

Embora os etno-nacionalistas privilegiem o espírito da nação acima de tudo o resto, definem-na, contudo, de forma orgânica, em termos de sangue, como uma família alargada, um grupo racial endógamo ou uma comunidade genética.»

Michael O’ Meara in “Toward the White Republic”