Passou na TV…

by RNPD

Não apanhei a entrevista de início nem sei qual era o contexto da pergunta, mas hoje, no TVI24, ouvi o Alberto João Jardim dar uma resposta de uma lucidez inexistente no deserto intelectual das televisões portuguesas. Não sei o que lhe passou pela cabeça e é bem verdade que é um homem capaz de dizer amanhã o contrário do que diz hoje ou de falar para simplesmente chocar. Mas, descontando tudo isso, permanece este facto: não se limitou a debitar as habituais banalidades “politicamente correctas”, teve um discurso corajoso, descomplexado e certeiro.

Disse que a Europa está em decadência civilizacional e explicou que todos os blocos políticos com uma identidade têm de ter fronteiras, têm de ter um exterior, uma zona de exclusão,uma barreira entre o “nós” e o “eles”. Afirmou que a U.E. cometeu um erro ao pretender ser um espaço de abertura global, sem se proteger, e criticou, a partir de uma perspectiva de direita e não do habitual psitacismo marxista, o capitalismo selvagem em vigor. Reiterou que o continente deveria ter um projecto político e não ser uma mera união económica ao serviço dos interesses capitalistas. Defendeu o proteccionismo, manifestando-se contra a abertura a Estados que concorrem através dos baixos custos de produção ou onde não existem movimentos sindicais ou direitos laborais.

Fica registada para a posteridade esta centelha de luz e originalidade no negrume entediante da opinião “politiqueira” nacional.